Projeto Pastoral


INTRODUÇÃO

O Externato Nossa Senhora do Rosário, sendo uma escola católica de identidade salesiana, considera a sua função pastoral de particular importância na missão educativa, tendo como fundamento o testemunho dos seus santos fundadores, D. Bosco e Madre Mazzarello.

A escola é um lugar central na educação das crianças e dos jovens, sendo que “Educar não é apenas transmitir conceitos, mas um trabalho que exige que todos os responsáveis, família, escola e instituições sociais, culturais e religiosas, participem desse processo de forma solidária. Para educar é necessário integrar a linguagem da cabeça com a linguagem do coração e a linguagem das mãos. Que um educando pensa o que sente e o que faz, sinta o que pensa e o que faz, e faça o que sente e o que pensa” (Papa Francisco aos participantes no Congresso “Educação: o pacto global”).

O nosso projeto pastoral permite-nos, com a presença frutificante da espiritualidade salesiana, aprofundar este sentido educativo, de ir ao encontro das crianças e dos jovens e ajudá-los a crescer de uma forma integral. Neste processo de crescimento, a espiritualidade salesiana valoriza muito os momentos celebrativos, litúrgicos e de festa.

O tema proposto pela Pastoral Juvenil Salesiana para 2021-22, intitulado “Levanta-te e testemunha”, vai ajudar-nos a integrar a Pastoral como dinâmica do dia a dia da comunidade educativa, pois aborda quatro dimensões complementares: bíblica, carismática, pedagógica e humana e psicológica.

Inspirados nas palavras de S. João Bosco na sua missão com os jovens, “formar bons cristãos e honestos cidadãos”, damos continuidade a este propósito educativo salesiano.

Decorrente do acima exposto, elegemos cinco princípios orientadores para a ação pastoral na nossa escola:

1.º Procura de Deus, pois toda a pessoa é naturalmente aberta ao transcendente.

2.º Abertura a conhecer Jesus.

3.º Proximidade ente Alunos, Educadores, Comunidade religiosa e Famílias.

4.º Formação integral “Bons cristãos e honestos cidadãos”, como caminho para a Felicidade.

5.º Aprofundamento da espiritualidade salesiana com a comemoração dos 150 anos do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora.

  1. O Tema “Levanta-te e Testemunha”

O tema pastoral para o ano letivo 2021-22 tem como lema “Levanta-te e testemunha”, numa clara alusão ao exemplo que brota da vida pessoal e em comunidade. Este lema inspira-se na conversão de São Paulo, aquele que se viria a tornar um dos grandes apóstolos e missionários da Igreja nascente. Partindo deste exemplo, somos hoje convidados a repensar os nossos projetos de vida e educativos, numa perspetiva de compreensão e assimilação da forma como podemos ser testemunhas de Jesus hoje.

São Paulo não testemunha aquilo que não viveu, algo que seja exterior a si, mas testemunha, partindo da sua experiência pessoal de encontro com Jesus no caminho de Damasco. No ano pastoral anterior, com o tema “Escuta e levanta-te”, acentuamos este primeiro passo de escuta, de escutar Jesus para, numa segunda etapa, levantar-se para testemunhar esta experiência.

A perspetiva temática de continuidade ao longo do triénio de “levantar-se” transmite uma ideia de constante movimento e de interpelação pessoal para sair de si mesmo e, em consequência, para a ação de relação com os outros.

“Ser testemunho” é um convite explícito a colaborar na alteração da realidade. Com o testemunho dá-se a transformação do presente e do futuro.

Na perspetiva cristã, a escuta de Jesus interpela o discípulo a aderir, em liberdade, ao projeto de felicidade expresso nas Bem-aventuranças. A nossa ação sobre os outros visa a mudança, sempre tendo por base o exemplo de Jesus. Mas, em primeiro lugar, essa transformação terá de acontecer em nós. Nós somos convidados a deixar-nos transformar, para sermos testemunhas com as nossas vivências de fé, que nos modelam em Cristo. Enquanto comunidade educativa, temos um papel muito importante, pois somos testemunho através das nossas palavras e do exemplo.

“Levantar-se e testemunhar” refere-se também à riqueza interior que se oferece com o próprio testemunho. É um convite a deixar para trás o nosso porto seguro e a partir à descoberta do outro, com a confiança e a fé em Jesus, quem nos guia neste caminho. É ajudar quem mais precisa, a começar na família e na comunidade, sempre com a certeza de que Jesus nos ajuda a superar os obstáculos que iremos encontrar na nossa caminhada.

Ainda, neste ano dedicado a São José, importa recordar este Santo como um exemplo de acolhimento da vontade de Deus. “José não é um homem resignado passivamente. O seu protagonismo é corajoso e forte. O acolhimento é um modo pelo qual se manifesta, na nossa vida, o dom da fortaleza que nos vem do Espírito Santo. Só o Senhor nos pode dar forca para acolher a vida como ela é, aceitando até mesmo as suas contradições, imprevistos e desilusões”. (Papa Francisco, PatrisCorde, 4).

Os exemplos dos nossos Santos fundadores, D. Bosco e Madre Mazzarello, São Paulo e São José ensinam-nos a acolher, com simplicidade e humildade, a iniciativa divina de coração aberto e generoso.

  1. Dimensões do Tema Pastoral

 O projeto pastoral expressa-se em quatro dimensões: bíblica, carismática, pedagógica e humana e psicológica.

DIMENSÃO BÍBLICA

O Tema Pastoral assenta na frase bíblica “Levanta-te e firma-te nos pés, pois para isto te apareci: para te constituir servo e testemunha do que acabas de ver e do que ainda te hei-de mostrar” (Atos 26, 16). O contexto insere-nos na vida de S. Paulo, no seu testemunho de conversão e consciência vocacional. A sua vida ilumina a nossa, na medida em que o encontro com Jesus Ressuscitado nos transforma, nos envia e nos confirma. Paulo tinha uma identidade, uma história, uma missão bem definida dentro do judaísmo. A experiência de Damasco, o encontro com o Ressuscitado muda-lhe a vida e Jesus é o centro de toda a sua espiritualidade. Apóstolo, missionário, fundador de comunidades, assume a sua missão de anunciar o Evangelho até aos confins da Terra, mesmo diante de grandes desafios.

A vivência da vocação de S. Paulo ajuda a olhar para a minha vida, olhando para a comunidade à qual pertenço, como vivo o meu chamamento, como vivo a minha fé quando as situações são difíceis e há incompreensões? Como anúncio que Cristo ressuscitado é a razão do meu existir e da minha alegria?

A inspiração paulina do lema pastoral deste ano letivo provoca a interpelação de sermos testemunhas no nosso dia a dia. Tarefa que nos pode parecer de difícil concretização, porque imaginamos que é uma missão complexa e exigente, que vai para além das nossas capacidades. Contudo, todos nós, cada um com a sua forma de ser, com a sua identidade, é chamado a ser testemunha de Cristo todos os Dias.

Tendo São Paulo, como exemplo, que anunciou Jesus, mesmo quando era perseguido, ameaçado e condenado, somos desafiados a não ter medo e receio de falar de Jesus. Aquele que nos ama e nos convida a fazer caminho com Ele.

DIMENSÃO CARISMÁTICA

A palavra “levantar” sugere-nos vencer a inércia, movimento, ação. Associando este verbo a um outro, “testemunha”, o movimento ganha em orientação e sentido porque nos questiona sobre o porquê e para quê nos levantamos.

A este nível inspiram-nos as vidas dos nossos fundadores. D. Bosco persistiu na procura de um local onde pudesse acolher os rapazes, diante da oposição vinda de diferentes setores da sociedade de Turim. Madre Mazzarello redirecionou a sua ação de acompanhamento às raparigas, após se ver limitada na sua saúde. São exemplos de como se reergueram e testemunharam uma fé forte em Deus ao superarem adversidades, oposições, quase impossibilidades.

DIMENSÃO PEDAGÓGICA

“Levanta-te e testemunha” apresenta uma dinâmica pedagógica não indiferente aos processos educativo-pastorais que desenvolvemos.

Educar é interiorizar e transformar: duplo movimento que se faz “testemunho” (do visto e vivido), algo que, no campo do atletismo, significa passagem, entrega, vitória conjunta.

Uma educação “mais aberta e inclusiva, capaz de escuta paciente, diálogo construtivo e compreensão mútua” (Papa Francisco, Pacto Educativo Global) precisa destes dois verbos: “Levantar-se” (da apatia, da comodidade, do formalismo, do conformismo, do “sempre foi assim”) para “testemunhar” a novidade surpreendente de cada processo educativo conseguido.

DIMENSÃO HUMANA E PSICOLÓGICA

O tema pastoral “Levanta-te e testemunha” coloca automaticamente a nossa mente focada na ação. A ação humana depende do tipo de observador, do significado que atribui a uma determinada situação e dos valores éticos nos quais crê. Ser um observador cristão envolve dar testemunho de Jesus, agir conforme valores humanos.

Somos seres biológicos, mas também emocionais e espirituais, e isto torna único o testemunho de cada um. No nosso testemunho devemos mostrar que a fé é essencial, porque quando falamos de fé estamos a falar de salvação, de vida eterna. Segundo o Papa Francisco, a experiência de fé transmite-se com amor e testemunho.

  1. Opções de fundo da Pastoral para 2021-2022:

Escutar os jovens e favorecer o protagonismo juvenil nas comunidades educativo-pastorais.

Formação e Celebrações – Fortalecimento da formação cristã e da dimensão espiritual da Comunidade Educativa: a centralidade de Deus; a dimensão carismática salesiana. Celebrar a fé – eucaristia e sacramento da Confissão.

Potenciar a dimensão do viver para os outros, no serviço.

No atual contexto do mundo e do nosso País – Gestos de solidariedade na atenção preferencial pelos mais pobres e marginalizados; o cuidado e a valorização da Família.

Cuidar a Casa Comum e da fraternidade universal, a partir de opções de responsabilidade pessoal e de cultura educativa.